domingo, 8 de junho de 2014

Hoje estou feliz por nós.

Tenho visto todas essas pessoas reclamando da falta de um amor para ser vivido numa praça num final de semana ensolarado ou embaixo das cobertas fingindo assistir a um filme qualquer. Tenho visto pessoas chorando amores platônicos passados, lamentando por não terem sido a pessoa certa. Tenho visto arrependimentos por deixar aquela chance passar. Vejo questionamentos no tradicional "e se...?" e me sinto feliz, digo, feliz por nós, não por esses pobres corações solitários deixados no passado e que não conseguem vir para o nosso presente. Tenho pena desses pobres corações desencorajados que deixaram talvez um grande amor passar por puro medo, mas fico feliz por mim. Feliz por ter ouvido minha mente, pois confesso que meu coração acordou só depois, bem depois de te ver pela primeira vez. Confesso que não era amor, não era sequer paixão, era mais curiosidade e um afeto muito grande pelo cara tão gentil, inteligente e um tanto tímido. Mas tudo bem, não ache que esse último foi um problema, sou medrosa e teria corrido se não fosse seu jeito tão calmo e aparentemente sem interesses. Só aparência, não é?
Fico feliz por nós. Por mim, por ter arriscado. Por você, por ter me dado a chance de te amar. Fico feliz por ter me apaixonado sem querer e fico feliz por ter me impedido a tempo de desistir de você. Fico feliz cada vez que lembro de ouvir aquelas três palavras da sua boca pela primeira vez e por quem se tornou para mim depois daquele dia e mais ainda por quem eu me tornei na sua vida.
É tão bom saber que não preciso escrever nenhuma palavra triste inspirada em nós. A coletânea de desamores que escrevo prefiro tirar das músicas, filmes ou meus momentos de tpm. É maravilhoso brigar não com a sensação de término, mas sim de construção de um futuro sólido e mais feliz.
Não quero escrever sobre despedidas quando se trata de você, não quero escrever sobre um fim iminente.
Quando se trata de você não quero escrever nem mesmo sobre o futuro porque isso nunca funciona, não mandamos nos nossos destinos, mas escolhemos os melhores caminhos e se meu caminho for ao seu lado então tudo bem, isso me basta.
O que realmente importa é quem somos agora e nesse momento somos um casal como qualquer outro que se ama e isso me basta, não quero nada além, não quero ser nenhum clichê de filme. Só quero ser a pessoa que você ama e escolhe estar num sábado à noite e no domingo à tarde. Hoje estou feliz por nós, feliz simplesmente por ter o seu amor.




Jéssica de Paula

Um comentário:

  1. Mas gente <3
    Muito bonitinho, Jessi.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Espero que tenha gostado do post e sinta-se à vontade para dar sua opinião aqui e voltar sempre que quiser. Pode também deixar o link do blog para que eu e outros leitores possamos conhecer um pouco de você.
Muito obrigada pela visita <3