segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Anna e o beijo francês (Stephanie Perkins)

Sinopse: “Isto é tudo o que sei sobre a França: Madeline, Amélie e Moulin Rouge. A Torre Eiffel e o Arco do Triunfo também, embora eu não saiba qual a verdadeira função de nenhum dos dois. Napoleão, Maria Antonieta e vários reis chamados Louis. Também não estou certa do que eles fizeram, mas acho que tem alguma coisa a ver com a Revolução Francesa, que tem algo a ver com o Dia da Bastilha.O museu de arte chama-se Louvre, tem o formato de uma pirâmide, e a Mona Lisa vive lá junto com a estátua da mulher sem braços. E tem cafés e bistrôs — ou qualquer nome que eles dão a estes — em cada esquina... Não é que eu seja ingrata, quero dizer, é Paris. A Cidade Luz! A cidade mais romântica do mundo.”

Resenha:
Sabe aqueles livros bem gostosinhos de ler para descontrair? Anna é um deles.
A história começa quando Anna é mandada pelo pai (que é o Nicholas Sparks, certeza) para fazer o último ano do colégio em uma instituição americana em Paris. Apesar de uma breve crise por se afastar da família e dos antigos amigos, logo Anna conhece Meredith e seu grupo: Rashimi, Josh e, é claro, o francês-britânico-americano Étienne St. Clair, aquele cara por quem todas as garotas são apaixonadas.
Graças aos novos amigos, aos poucos, Anna vai se acostumando à nova vida. Viciada em cinema, sempre que percebe estar entrando em uma enrascada corre para um dos vários cinemas que “descobriu” na cidade luz, na maioria das vezes essas enrascadas tem a ver com St. Clair.
St. Clair tem tudo o que uma garota pode querer, bonito, inteligente, amigo,  engraçado, porém tem uma namorada, o que o torna surpreendentemente mais desejável principalmente para Anna, mas não para por aí, existem mais duas pessoas envolvidas nesse triângulo, ou seria melhor pentágono amoroso?! Anna deixou seu “rolo” com Toph como um assunto inacabado em Atlanta, mas isso ainda não seria tão ruim se Meredith, sua nova amiga, também não fosse apaixonada por St. Clair. Realmente não sei como esse romance poderia complicar mais.
Admito que de primeira não esperava muito, mas me enganei, é o tipo de livro que envolve o leitor, que te faz querer fazer as malas e correr para a França.
Eu particularmente adorei a Rashimi.
Um bom romance adolescente com toques de comédia e uma Anna bêbadamente sedutora.

Um comentário:

  1. Tenho uma queda ETERNA por esse livro! Foi o primeiro que li da autora e me apaixonei pelo St. Clair IMEDIATAMENTE! Ele é tão fofo, sem ser aquele cara fofo imbecil e chato! Admiro muito o trabalho da Stephanie em cima desse personagem, pois poucos autores conseguem fazer algo assim. E a Anna é muito divertida, também! Não sei se já leu Lola e o Garoto da Casa ao Lado. Recomendo, apesar de, na minha opinião, não ser tão bom quanto Anna e o Beijo Francês.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Espero que tenha gostado do post e sinta-se à vontade para dar sua opinião aqui e voltar sempre que quiser. Pode também deixar o link do blog para que eu e outros leitores possamos conhecer um pouco de você.
Muito obrigada pela visita <3