quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Não possuímos as pessoas


Criamos o costume de acreditar que possuímos as pessoas, que estas não são passageiras e têm a obrigação de permanecerem em nossas vidas independente de nossos erros e demoramos para perceber como estamos enganados.
Relações são escolhas, não contratos e para conquistarmos o querer do outro é preciso se dedicar dia a dia, seja com o(a) namorado(a), o(a) amigo(a) e até mesmo familiares. Sim, mesmo os familiares estão ali por querer, por amar, não por obrigação, e quando o é já não é uma relação, aí sim se torna um contrato entre parentes. É como um pai distante que só aparece para fazer seu papel diante da sociedade, mas quando se vai a suposta relação "pai-filho" deixa de existir. Não é amor, é obrigação perante a sociedade. Amor mesmo é aquele em que se está perto por querer de verdade, por aceitar os defeitos, mas não concordas com os erros. Amor se conquista todos os dias, no pedido de desculpas, no arrependimento, no agrado sem motivo, no abraço aleatório, só por vontade.
Relações são atos de carinho, não poder. Não nos possuímos e não somos insubstituíveis, portanto não pense que pode tratar as pessoas a sua volta como queira porque nunca irão embora, eles irão sim, seja física ou sentimentalmente. As pessoas se vão quando não são amadas. Pai, mãe, marido, esposa, são apenas palavras até que se dê um significado único na vida de cada um. Não é o contrato de sangue ou perante a lei que prenderá o outro a você, mas sim suas ações diárias, seu modo de demonstrar que ama e se preocupa, para o outro querer estar perto é preciso também o seu querer, pois ninguém quer estar em um lugar (neste caso a relação) em que também não é desejado.
Quando nos interessamos por alguém fazemos de tudo para conquistá-lo, quando conseguimos esquecemos que a relação é uma eterna conquista.
Precisamos urgentemente nos desfazer dessa tola ilusão de que pertencemos o outro e passar a valorizar sua presença a cada dia.
Objetos pertencem, pessoas precisam ser amadas para escolher ficar.

Jéssica de Paula

"Somos livres, não pertencemos a ninguém e não podemos querer ser donos dos desejos, da vontade ou dos sonhos de quem quer que seja." - Paulo Roberto Gaefke

Um comentário:

  1. Já disse que a-m-o essas suas reflexões sobre o amor? É sério, eu amo. Acho que pensamos muito parecidas e você consegue argumentar seus textos de forma simples, mas com afinco. Esse, com certeza, ficou incrível. Fico muito orgulhosa por vê-la escrevendo de tudo um pouco e da melhor forma possível. A cada vez que venho aqui fico mais e mais apaixonada por seus escritos! *-*

    "Relações são atos de carinho, não poder. Não nos possuímos e não somos insubstituíveis" - simplesmente genial e certeiro! É bem isso. Infelizmente, as pessoas acham que podem dominar as outras, seja física ou psicologicamente. Isso, com certeza, não é amor. Porque eu costumo pensar que o amor de verdade é aquele que nos deixa livres para fazer escolhas. E, se você não tem como fazê-las, é porque não está num relacionamento saudável.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Espero que tenha gostado do post e sinta-se à vontade para dar sua opinião aqui e voltar sempre que quiser. Pode também deixar o link do blog para que eu e outros leitores possamos conhecer um pouco de você.
Muito obrigada pela visita <3